Futebol

Tite diz que Neymar errou e não o confirma como capitão da Seleção Brasileira

Ao confirmar a convocação de Neymar para a Copa América, Tite evitou falar sobre o comportamento recente de Neymar – que agrediu um torcedor na França e criticou companheiros de PSG – e não quis nem comentar um possível encontro com o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL). O técnico divulgou a lista de 23 atletas que disputarão o torneio no Brasil. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

“Neymar errou. Por educação, a conversa que eu, enquanto técnico, vou ter com ele por uma questão de educação e princípios, primeiro eu converso com ele, assim como conversei com Douglas Costa e vou conversar com o Paquetá”, afirmou Tite.

Após insistência da pergunta por parte dos jornalistas, o treinador afirmou que não ia se manifestar antes de conversar com Neymar. “Eu gosto que as pessoas falem comigo, não por telefone, e não vou falar quando não quero. Vou falar com Neymar e depois falo com vocês”, afirmou Tite.

“Entendo, respeitosamente guardo a pergunta e respondo no momento oportuno, deixo meu compromisso depois de conversar com ele”, continuou.

Ao ouvir que a atitude de Neymar era semelhante com Douglas Costa, em jogo pela Juventus (ITA), que foi advertido por Tite após cusparada em um adversário no futebol europeu, o treinador não gostou.

“Quando foi colocado para mim a relação Douglas Costa eu falei que não era por telefone e, sim, pessoal. Eu respondi que foi por lesão e pelo problema que aconteceu. Conversei com ele pessoalmente. Foi pelos dois. Não retiro a indisciplina da coisa. Coloco à disposição para ter o cuidado das coisas corretas como elas verdadeiramente são. Só para deixar as coisas claras, uma igualdade e equidade. Toda minha passagem como técnico me credencia a falar dessa forma”, desabafou Tite.

Em outro momento, ao ser questionado por um repórter sobre as brigas de Neymar com companheiros de PSG, o treinador disse que daria ao jornalista a chance de fazer uma nova questão, pois não gostaria de falar novamente sobre um tema que não quer abordar. O profissional de imprensa, porém, passou a vez de perguntar.

A seleção brasileira estreia no dia 14 de junho, contra a Bolívia, no Morumbi. “Foi a lista mais difícil que eu tive até hoje para fechar. Não dormi, nem minha esposa conseguiu ajudar, mas está aí essa sequência que tem objetivos de oportunidade, atletas jovens, surgindo emergentes, com atletas que já participaram”, disse Tite.

O técnico não respondeu ao ser questionado se aceitaria se encontrar com o presidente da República, Jair Bolsonaro, antes do torneio. A seleção brasileira enfrenta o Qatar no dia 5 de junho, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

“Nós gostaríamos de jogar no Maracanã e o outro local seria Brasília. Na programação não tem nada veiculado a encontro [com Bolsonaro]. Tem a participação de apenas jogarmos, e isso a gente vai fazer. Não tem programação nenhuma”, disse o treinador.

Em dezembro de 2017, após o sorteio dos grupos da Copa do Mundo, Tite foi questionado pela Folha sobre como se sentiria ao lado do então presidente Michel Temer (PMDB), caso a delegação brasileira fosse a Brasília antes de embarcar para a Rússia.

“Não me sentiria à vontade com nenhum político. O meu meio é o futebol”, disse o treinador.

O CatanduvasMais é um agregador de notícias, logo todo o conteúdo desta notícia é de responsabilidade do Jornal O Sul.

Deixe sua opinião:

pessoa(s) deixaram sua opinião. Sua opinião é muito importante, participe!

Leia:  Técnico Odair Hellmann destaca “fator Beira-Rio” e projeta jogo de “paciência” contra o CSA