Política

Terroristas do MST e do MTST temem ser presos no governo Bolsonaro

Os terroristas do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) estão com medo do governo Bolsonaro.

O principal temor é que o Projeto de Lei do Senado n° 272/2016, de Lasier Martins (PSC-SC), seja aprovado. Ele torna crime “incendiar, depredar, saquear, destruir ou explodir meios de transporte ou qualquer bem público ou privado”, bem como “louvar outra pessoa, grupo, organização ou associação pelos crimes de terrorismo”, com pena de 12 a 30 anos de cadeia.

Para o líder terrorista do MTST e ex-candidato à presidência da República, Guilherme Boulos (PSOL), a abordagem policial já está mais hostil. “É evidente que o nível da abordagem começa a ser mais hostil. Numa ocupação nossa em Maceió, a polícia chegou barbarizando, gritando ‘agora é Bolsonaro’”, afirmou o terrorista.

A maioria acredita que a aprovação do projeto é inevitável. “A gente tá contando que vai acontecer”, afirmou Kelli Mafort, da direção nacional do MST. Outros também temem a criminalização das invasões de escolas como as que ocorreram em 2016.

Com medo da cadeia, Boulos irá ao Parlamento Europeu a convite do Podemos, o PSOL da Espanha, fazer uma “denúncia”. A mobilização também incluirá Caetano Veloso.

Com informações da Folha

O CatanduvasMais é um agregador de notícias, logo todo o conteúdo desta notícia é de responsabilidade do Conservadorismo do Brasil

Deixe sua opinião:

pessoa(s) deixaram sua opinião. Sua opinião é muito importante, participe!

Leia:  Juiza Lebbos nega visita de senadores a Lula e dá bronca “afrontaria a disciplina de visitação”