Futebol

O curso de técnicos da CBF teve o seu pontapé inicial. O comandante do Grêmio, Renato Portaluppi faltou aula

Quando os jogadores entram de férias, um grupo de técnicos volta ao banco escolar em busca de certificação para exercer a profissão. Nesta terça-feira (4), cerca de 70 alunos iniciaram as aulas de mais um módulo da Licença Pro da CBF Academy. Na turma que está na Granja Comary, em Teresópolis, Tite, Dunga e Mano Menezes – três dos quatro últimos treinadores da seleção brasileira – sentaram-se lado a lado para compartilhar e adquirir mais conhecimento para receber o diploma.

“Chega a dar uma arrepiada. Qual curso do mundo você tem três treinadores de Seleção Brasileira sentados?”, foi o comentário de Maurício Marques, coordenador dos cursos da CBF Academy no pontapé inicial da aula.

Hoje, quem tem a Licença Pro pode trabalhar no futebol europeu se comprovar cinco anos de experiência como treinador.

Mas uma ausência foi sentida no primeiro dia de atividades no Centro de Excelência que custou R$ 17 milhões à CBF. Matriculado pelo Grêmio à beira do encerramento do prazo, Renato Portaluppi não apareceu e vai precisar repor o conteúdo perdido em outra bateria do curso, o que vai atrasar a emissão do diploma.

Renato não tem nenhuma das licenças oferecidas pela CBF e precisou realizar a matrícula para atender aos pré-requisitos do programa de licenciamento da entidade – um conjunto de regras mínimas que dão aos clubes o direito de participar das competições. Para 2019, a exigência é que todos os treinadores da Série A tenham pelo menos a Licença A.

Vários nomes conhecidos do mercado participam. A lista de alunos conta com Zé Ricardo, Maurício Barbieri, Jair Ventura, Roger Machado, Paulo Turra, Cristóvão Borges, Eduardo Baptista, Osmar Loss, Thiago Larghi, Adilson Baptista, Claudio Maldonado, Vagner Mancini, Jorginho, entre outros. A representação feminina fica por conta de Emily Lima, que treinou a Seleção Brasileira.

Leia:  River Plate x Boca Juniors, a final da Copa Libertadores em Madri

Na primeira aula da qual Tite e os companheiros participaram, a proposta foi analisar taticamente as equipes do Brasileirão-2018. Os alunos foram divididos em grupos e já na explanação houve momentos de descontração. Quando Maurício Marques citou a possibilidade hipotética de se analisar o confronto entre o campeão brasileiro Palmeiras e América-MG, Adilson Baptista, treinador do time mineiro na ocasião, logo se pronunciou:

“Eu empatei o jogo”, disse ele, arrancando risadas dos colegas.

Quando os jornalistas se retiraram da sala de aula, ainda durante a explicação, Mano Menezes deu outra tirada, referindo-se ao porte físico e à roupa de Maurício Marques.

“O que que a imprensa vai falar amanhã? O cara que mais sabia de futebol era o gordinho de branco.”

O CatanduvasMais é um agregador de notícias, logo todo o conteúdo desta notícia é de responsabilidade do Jornal O Sul.

Deixe sua opinião:

pessoa(s) deixaram sua opinião. Sua opinião é muito importante, participe!