Política

Médicos do Albert Einstein abrem mão de receber por cirurgia em Bolsonaro

Aos cuidados de uma das equipes mais conceituadas do país, Bolsonaro passou 17 internado no Hospital Albert Einstein.

A equipe, liderada pelo cirurgião Antônio Luiz Macedo, abriu mão de cobrar pela cirurgia e pela consulta de revisão, realizada em 27 de fevereiro, ou seja, 15 dias após a alta.

O período de 17 dias em que o Presidente da República precisou estar internado e sob supervisão médica, custará cerca de R$ 400 mil aos recursos reservados para a Presidência em 2019.

Essa conta, na realidade deveria ser cobrada de quem mandou Adélio agir, e também, de quem banca os advogados do terrorista.

Com informação da Folha.

O CatanduvasMais é um agregador de notícias.

Deixe sua opinião:

pessoa(s) deixaram sua opinião. Sua opinião é muito importante, participe!

Leia:  Os maiores capitalistas do mundo estão olhando para o Brasil com entusiasmo