Futebol

Marca histórica: Messi pode ser o primeiro jogador no mundo a fazer mil gols sem contar os dos jogos amistosos

Pelé é o único jogador que ultrapassou, de forma incontestável, a marca de mil gols. Foram 1.282. Há outro atacante que também tem chance atingir o número até o fim da carreira: Lionel Messi. Os dois gols marcados pelo argentino no domingo (19), no empate em 2 a 2 com o Eibar, pelo Campeonato Espanhol, o fez chegar aos 667. Ele completará 32 anos no dia 24 de junho.

Os defensores de Pelé podem argumentar que quando chegou a essa idade, o brasileiro já tinha marcado 1.143 vezes. Cada vez mais consciente do seu legado, ele também gosta de lembrar coisas assim. “Tem gente que faz comparação com coisa que nem tem. Como pode fazer comparação de um cara que cabeceia bem, chuta com a esquerda, chuta com a direita, com outro que só chuta com uma perna, só tem uma habilidade, não cabeceia bem? Como pode comparar? Para comparar com o Pelé tinha de ser alguém que chutasse bem com a esquerda, chutasse bem com a direita, fizesse gol de cabeça”, disse o Rei do Futebol em dezembro do ano passado, falando sobre o capitão do Barcelona.

Mas quem defende a ideia de que, apesar da ausência de títulos mundiais com a seleção argentina, Messi é o melhor de todos os tempos, tem argumentos. Um deles é que o argentino pode ser o primeiro jogador da história a atingir mil gols em partidas oficiais.

Dos 1.282 de Pelé, 515 aconteceram em amistosos e 767 em jogos oficiais. Dos 665 anotados por Messi, apenas 30 foram em amistosos. Todos pela seleção argentina. Neste ano, ele tem 29 gols feitos, mas a temporada europeia termina neste mês e volta apenas em agosto. O atacante deve ser chamado para atuar pela Argentina na Copa América. Ele não tem nenhum título de expressão pelo seu país, algo que o diferencia de Pelé de forma negativa.

Leia:  Montoya aceita investida do Racing e está de saída do Grêmio

Para chegar aos mil gols, Messi terá de manter a  mesma produção ofensiva dos últimos anos. Considerados os 51 que marcou em 2018, precisaria de mais seis anos e meio para atingir a marca. Teria de seguir no mesmo ritmo até 2025, quando estará com 39 anos.

Mas se for levado em conta o melhor ano da carreira do atacante (2012, quando balançou a rede 91 vezes), seriam necessários pouco mais de três anos e meio. Ele poderia  bater os mil gols aos 35 anos, no final de 2022 ou começo de 2023.

As contas de gols marcados por jogadores históricos costumam ser controversas. Romário fez a matemática que o colocou no caminho do milésimo, marcado em 2007, pelo Vasco, em São Januário, de pênalti.

Para defender seu feito, o hoje senador diz que a conta de Pelé também contém gols que podem não ser considerados “sérios”, como amistosos pela seleção das Forças Armadas ou partidas festivas. Romário somou gols anotados como amador nas categorias de base e em jogos-treinos.

Túlio jura ter chegado aos quatro dígitos, e o milésimo gol teria saído em 2014, pelo Araxá, na segunda divisão do Campeonato Mineiro. “Podem falar o que quiser. Eu sou o pai da criança. A conta dos gols é minha mesmo”, defende o centroavante, sobre a marca contestada.

O CatanduvasMais é um agregador de notícias, logo todo o conteúdo desta notícia é de responsabilidade do Jornal O Sul.

Deixe sua opinião:

pessoa(s) deixaram sua opinião. Sua opinião é muito importante, participe!