Santa Catarina

Laudo aponta que produto químico é causa da morte de abelhas em 3 propriedades de SC


Segundo secretaria, fipronil é ingrediente tanto de agrotóxicos quanto de remédios veterinários para controle de insetos. Propriedades atingidas são do Norte do estado. Morte de milhares de abelhas no Planalto Norte de SC prejudica apicultores
Reprodução/NSC TV
O laudo sobre a causa da morte de abelhas em quatro propriedades do Norte do estado indicou que o produto químico fipronil foi responsável pela mortandade em três delas, informou o secretário-adjunto estadual de Agricultura e Pesca, Ricardo Miotto. Segundo ele, a substância é encontrada tanto em agrotóxicos como em remédios veterinários para fazer controle de insetos.
As propriedades que tiveram mortandade de abelhas ficam em Rio Negrinho, Canoinhas e Major Vieira. O laudo saiu no final de fevereiro.
Nesta semana, técnicos da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) e Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) estão em campo coletando mais dados para tentar descobrir se o fipronil teve como origem um agrotóxico ou remédio veterinário.
Na quarta propriedade, não foi identificada a presença de produto químico ou de problemas sanitários. Os técnicos seguem investigando para descobrir a causa das mortes.
Mortandade
A secretaria não tem um número preciso de quantas abelhas morreram. O chefe de Estudos Apícolas da Epagri, Ivanir Cella, afirmou que foram atingidas entre 270 e 300 colmeias. Em cada uma há entre 40 mil e 50 mil abelhas.
O mel produzido pelas caixas onde ocorreram as mortes não foi utilizado, conforme o secretário-adjunto. Ele disse que se trata de casos isolados.
No total, o estado tem 315 mil colmeias e 9,7 mil apicultores. “A secretaria está muito preocupada. Todas as atividades são importantes para o estado”, afirmou Miotto.
Ele também disse que técnicos da Cidasc e Epagri vão levar orientação aos agricultores de propriedades próximas para que redobrem o cuidado com agrotóxicos e que apicultores que tenham também produção de outros animais tenham atenção aos aplicar os remédios para controle de insetos.
Segundo a secretaria, 99% do mel catarinense é exportado e recebe o rótulo de orgânico, livre de agrotóxicos.
Veja mais notícias do estado no G1 SC

Leia:  Piloto de arrancadão fica ferido após capotar caminhão durante prova em SC; VÍDEO

O CatanduvasMais é um agregador de notícias, logo todo o conteúdo desta notícia é de responsabilidade do G1.

Deixe sua opinião:

pessoa(s) deixaram sua opinião. Sua opinião é muito importante, participe!