Futebol

Jornalistas do mundo inteiro tentam credenciamento para o jogo do Boca Júniors Versus River Plate

No próximo sábado a América do Sul vai parar. Boca Juniors e River Plate abrem a final da Libertadores e o mundo inteiro quer acompanhar o maior clássico das Américas. Para ter a exata noção da dimensão do confronto, até mesmo jornalistas da Ásia querem cobrir a partida in loco.

Segundo o Boca Juniors, a imprensa de Omã, país do continente asiático, mandou solicitação de credenciamento. Além dele, veículos da China manifestaram o desejo de cobrir a partida. Em relação a América, todos os países do continente sul-americano enviaram solicitação para cobrir o maior Boca Juniors e River Plate de toda a história. Veículos dos Estados Unidos e México também engordam a lista.

Apesar da procura, o Boca Juniors revelou que apenas 1.000 jornalistas serão credenciados para acompanhar o jogo. Boca Juniors e River Plate se enfrentam neste sábado (10), na La Bombonera. A volta acontece no dia 24 de novembro, no Monumental de Núñez.

Torcida única 

Na sexta (2), o presidente da Argentina, Maurício Macri, afirmou que os dois jogos teriam torcida visitante, algo que não é permitido no principal clássico do país desde 2014. Em seguida, Martín Ocampo, ministro da Segurança da Cidade de Buenos Aires, confirmou que quatro mil ingressos seriam destinados para os rivais.

“Já teve uma reunião de trabalho. Eles estão organizando com quais diretrizes, mas será assim. Falei com o chefe de governo da cidade de Buenos Aires. Isso é algo excepcional. Vamos experimentar”, disse Macri, ex-presidente do Boca Juniors, à rádio argentina “La Red”.

Um pronunciamento dos presidentes da AFA (Claudio Tapia), Boca (Daniel Angelici) e River (Rodolfo D’Onofrio) na segunda (5), porém, confirmou o jogo com torcida única. “Os presidentes de ambas as instituições concordaram que, apesar do atrativo que gera a presença de duas torcidas, tal medida pode gerar problemas para os sócios. E, apesar de essa decisão, Boca e River valorizam e reconhecem o interesse do presidente Mauricio Macri de promover a presença de visitantes”, afirmou Tapia.

Leia:  Tite faz “treino invisível”, define time e encerra preparação da Seleção Brasileira para o amistoso contra Camarões

Boca Juniors e River Plate protagonizarão uma das finais mais esperadas da história da Taça Libertadores, depois de eliminarem Palmeiras e Grêmio, respectivamente, nas semifinais. Esta será a terceira final entre times do mesmo país na competição – antes, o São Paulo havia decidido contra o Atlético-PR em 2005, e contra o Internacional, em 2006.

Expulsão

O meio-campo Leandro Paredes, do Zenit e da seleção da Argentina, foi acusado por torcedores de forçar uma expulsão no Campeonato Russo. O motivo é simples: ele ficou livre para assistir à primeira partida da final da Copa Libertadores, entre Boca Juniors e River Plate, no próximo sábado, em La Bombonera. O jogador é torcedor declarado do Boca, clube onde foi revelado.

No dia 4, Paredes levou cartão vermelho após acertar um adversário sem bola e o árbitro mostrar o segundo amarelo, na vitória do Zenit por 1 a 0 sobre o Akhmat. O próximo compromisso do time pelo torneio será o clássico contra o CSKA Moscou, neste domingo (11), um dia depois do duelo de ida entre Boca e River, em La Bombonera. Assim, como a expulsão, ele está fora da partida.

 

O CatanduvasMais é um agregador de notícias, logo todo o conteúdo desta notícia é de responsabilidade do Jornal O Sul.

Deixe sua opinião:

pessoa(s) deixaram sua opinião. Sua opinião é muito importante, participe!