Política

Intercept manipulou “mensagens” para aparentar que Moro defendeu FHC



O site Intercept, fundado pelo ex-advogado de um líder neonazista, voltou a manipular as supostas mensagens – divulgadas sem prints, áudios, vídeos ou qualquer outro arquivo que possa ser periciado – que obteve ilegalmente para aparentar que Moro defendeu FHC das investigações da PGR.

Após manipular trecho das supostas mensagens para aparentar que Moro queria derrubar políticos, o site de extrema-esquerda divulgou novos trechos das “mensagens” nesta terça-feira (18). Entretanto, o trecho inicial da matéria que trata dos “diálogos” – carregado de interpretação dos próprios militantes do site – não condiz com a versão completa das “mensagens” divulgada na mesma matéria.

Na versão divugada no início da matéria, Moro aparenta dizer a Dallagnol que o inquérito contra FHC seria “questionável pois melindra alguém cujo apoio é importante”:

Entretanto, na versão completa das “mensagens” – disponível no final da matéria que quase ninguém lê – é possível ver que os procuradores teriam falado sobre a investigação contra o Instituto FHC desde 17 de novembro de 2015. Quase 17 meses depois, no dia 13 de abril de 2017, Moro teria supostamente enviado uma mensagem a Dallagnol questionando se “Tem alguma coisa mesmo do FHC? O que vi na TV pareceu muito fraco?”, o que leva a crer que o juiz soube da investigação pela televisão quase 17 meses depois dos procuradores iniciarem a investigação sobre o caso.

Moro – 09:07:39 – Tem alguma coisa mesmo seria do FHC? O que vi na TV pareceu muito fraco?
Moro – 09:08:18 – Caixa 2 de 96?
Dallagnol – 10:50:42 – Em pp sim, o que tem é mto fraco
Moro – 11:35:19 – Não estaria mais do que prescrito?

Após a resposta do juiz questionando a prescrição do crime às 11:35, Dallagnol teria enviado uma pergunta para o grupo da PGR em Brasília. Sergio Bruno, integrante da equipe de Rodrigo Janot, teria respondido:

Leia:  Governo Bolsonaro quer aumentar faixa salarial isenta de imposto de renda

Dallagnol – 11:42:54 – Caros o fato do FHC é só caixa 2 de 96? Não tá prescrito? Teve inquérito?
Sergio Bruno Mpdft – 11:51:25 – Mandado pra SP
Sergio Bruno Mpdft – 11:51:44 – Não analisamos prescrição
Dallagnol – 13:26:11 –   

Somente DEPOIS da suposta resposta do procurador de Brasília, Dallagnol teria respondido a Sergio Moro:

Dallagnol – 13:26:42 – Foi enviado pra SP sem se analisar prescrição
Dallagnol – 13:27:27 – Suponho que de propósito. Talvez para passar recado de imparcialidade
Moro – 13:52:51 – Ah, não sei. Acho questionável pois melindra alguém cujo apoio é importante.

Ou seja: ao contrário do que o site de extrema-esquerda afirma, Sergio Moro teria questionado a atitude da PGR de enviar os indícios de crimes prescritos para SP para fins políticos, não o fato da investigação “melindrar” FHC. A investigação começou quase 17 meses antes de Moro descobrir que ela existia e nunca passou pelas mãos do então juiz de Curitiba.

O CatanduvasMais é um agregador de notícias.

Deixe sua opinião:

pessoa(s) deixaram sua opinião. Sua opinião é muito importante, participe!