Política

A campanha de Bolsonaro quer o candidato em apenas dois debates no segundo turno

A cúpula da campanha do candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) defende que o capitão reformado do exército participe apenas dos dois últimos debates na TV neste segundo turno. Com isso, os confrontos contra Fernando Haddad (PT) aconteceriam apenas na TVs Record (dia 21) e Globo (26.)

Ainda existe uma negociação para que a Band adie seu debate, marcado inicialmente para esta quinta, para a próxima semana. Há também encontros marcados na RedeTV, SBT e Gazeta. A equipe de Bolsonaro não se manifestou oficialmente sobre o assunto.

Visita

Nessa quarta-feira, Bolsonaro recebeu a visita da equipe médica em sua casa, em um condomínio no Rio de Janeiro. De acordo com o cirurgião Antonio Luiz Macedo e o cardiologista Leandro Echenique, o capitão reformado do exército só deve ser liberado para atividades de campanha a partir da próxima semana, quando passará por uma nova avaliação no Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Apesar de estar com anemia e precisar recuperar massa muscular após perder 15 quilos, o estado de saúde dele é considerado estável e fora de risco: “Na quinta-feira que vem, ele vai nos procurar para uma avaliação no Einstein  e, com certeza, vamos libera-lo para tudo que for necessário”, disse Macedo.

Esforço

O cirurgião afirmou não saber sobre a participação de Bolsonaro nos debates, mas ponderou que “aguentar três horas falando não é facil: “Ele tem desejo de participar realmente, mas no momento, perante essa avaliação que fizemos aqui. Consideramos que não é momento ideal para ele voltar às atividades”.

Sobre as críticas que vem recebendo por não liberar Bolsonaro para a campanha, o médico também se manifestou. Segundo ele, a sua decisão é médica e não política. “O pessoal chegou até conjecturar que eu estava dando laudos falsos dizendo que Jair Bolsonaro estava muito doente e não estava”, lamentou. “Sempre dei laudo absolutamente verdadeiro. Tomamos cuidado com o cliente. Não temos nada a ver com o aspecto político, temos a ver com o aspecto clínico.”

Leia:  Na eleição em que a verba pública predominou, candidatos com orçamentos mais elevados não conseguiram se eleger para a Câmara dos Deputados

Nova cirurgia

A previsão é que Bolsonaro passe por uma terceira cirurgia em dezembro, quando se completará três meses da operação de emergência realizada no Einstein, para a retirada da bolsa de colostomia. O procedimento é considerado simples. Caberá ao candidato decidir a data, se fará antes ou depois de uma eventual posse caso seja eleito.

O CatanduvasMais é um agregador de notícias, logo todo o conteúdo desta notícia é de responsabilidade do Jornal O Sul.

Deixe sua opinião:

pessoa(s) deixaram sua opinião. Sua opinião é muito importante, participe!